Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis

Coisa de crente


Translate this Page
visite Saulo
ja viu o site www.saulopezzo.no.comunidades.net?
sim,achei interessante
não, vou olhar agora
não, depois eu olho
sim, podia acrescentar
Ver Resultados

Rating: 2.9/5 (237 votos)




ONLINE
1








OI pessoal este aqui é um site interativo pra gente bater papo qd puder então visite faça comentarios anexe fotos mas deixe sempre seu nome ok?}Afinal meus anigos são minha família!!

Trabalho com jovens

Trabalhar com jovens nos dias de hoje não é fácil, o mundo está aí com todas as suas artimanhas ganhando os jovens e levando crentes para a perdição.Vamos dizer um basta para isso e realmente se empenhar espiritualmente com jejuns e orações mas também com estratégias diferenciadas para ganhar os jovens , eis aí algumas sugestões:

 

Idéias para trabalhar com jovens

PARA O TRABALHO MINISTERIAL JOVENS , DINÂMICAS, BRINCADEIRAS, MISSÕES, ETC....

Um Ministério com Propósitos liderança para Jovens do Pr. Doug Fields. Aconselho ao irmão ler esse livro. É maravilhoso e nos dá grandes diretrizes de como atrair jovens para o ministério, como conquistar uma liderança e como fazer com que os jovens sejam ativos na igreja. Tenho certeza de que essa literatura lhe será muito util. Deus continue te abençoando!

Teremos nosso retiro 01/05 á 04/05 sobre Adoração e Louvor em uma chacara em Riacho Grande. Caso queira participar me envie um e-mail
rosemeire_silp@yahoo.com.br
até mais

 

- Busque um versiculo que possa dar uma identidade ao grupo. Ex: l Pd 2:9 - Grupo Geração Eleita.
- delegue responsabilidades
- encoraje-os a se envolverem com ministérios
- eventualmento indique algumas pessoas para elaborarem e conduzirem a reunião
- se possível marque oração com todos 15 min. antes da reunião
- dinamize as reuniões com dinâmicas, extraindo princípios e valores cristãos
- tenha uma noite para comemorar os aniversariantes do mês, fortaleça a comunhão
- programe retiros alternados (evangelístico, com com convidados), (restrito, direcionado apenas para o grupo)
- ensine-os á amarem os perdidos
- focalize futuros potenciais para lider de jovens, e invista neles

Graça e paz a tods

 

Fiz esta peça bem humorada, para ser trabalhada com exageros pelos atores. Ela precisa de pelo menos 6 meses de ensaios para sair perfeita, mas VALE A PENA!



VIDA & MORTE, MORTE & VIDA


(Palco às escuras, jovens vestidos de branco; de pé, segurando lanternas apagadas, giram em volta de um rapaz que está sobre um tablado; sentado sobre uma cama ou divã, as mãos cobrindo o rosto em completo desalento. Todo vestido de preto, boca e olhos pintados de preto, rosto pintado de branco, pés descalços, cabelos desgrenhados, é iluminado pelo foco das lanternas dos jovens que estão entre ele e o público sincronizar direitinho o acender o apagar das lanternas durante o giro, para que Carlos seja sempre iluminado pelos jovens que estiverem de costas para o público, afim de que este não seja ofuscado pela luz das lanternas).

Carlos: Ah! Mais uma noite – a droga acabou, o dinheiro também (trovões e relâmpagos), além do que com esta chuva, não encontrarei ninguém nas ruas! Vejo que passarei a madrugada sem “nenhum” para cheirar ou fumar. Não posso dormir, dormir já não posso, o efeito do que usei já acabou, e sinto que tem alguém ou alguma coisa aqui, dentro do quarto comigo (os rapazes de branco se acercam mais do jovem, erguendo os braços em sua direção, sem deixar de focar suas lanternas nele, que não demonstra os estar vendo. Vão se afastando novamente durante o próximo monólogo de Carlos. É sempre assim – sempre que acaba o efeito das drogas, vejo vultos a me perseguirem, a me assombrarem (se aproximam novamente, erguendo novamente os braços, dizendo: Uh! Uh! Se calam e se afastam novamente) e só passam quando eu consigo algum. Só resta a ilusão de conseguir algo para cheirar ou fumar, e este terror afastar. Só a ilusão!

Um jovem vestido de branco, ilumina seu próprio rosto com a luz da lanterna que ele mesmo segura na linha da cintura. Neste momento, todos param de girar, se deslocam para as laterais, iluminando sempre o jovem do centro, que assustado salta, ficando de pé no divã e gritando assustado para o rapaz de branco:

Carlos: Quem é você? Como chegou aqui?

Ilusões: Você me chamou!

Carlos: Ta maluco? Eu não chamei ninguém!

Ilusões: Chamou sim! Eu sou as suas ilusões, e você acabou de me chamar.

Carlos: (erguendo o queixo, em desafio, mas demonstrando-se intrigado e desesperançado ao mesmo tempo): Ilusões? Eu não tenho ilusões. – Já as abandonei há muito tempo. Na verdade, nem sei se as tive um dia!

Ilusões: Você as teve. É por isso que eu existo; venho te seguindo desde que me abandonou, na esperança que me queira de volta um dia. (dramático) Sou a sua ilusão de vencer na vida; sou sua ilusão de vitória sobre as drogas; sou a sua ilusão de cavaleiro andante, que matará o dragão e salvará a donzela em perigo! Sou a sua ilusão de retorno a uma vida feliz e saudável sem as drogas. Sou a ilusão de uma vida cheia de esperanças que você sufoca a cada baseado que acendes. (Apaga sua lanterna, e fica piscando-a a intervalos regulares, e a cada vez que ilumina a si mesmo, diz: Ilusões, ilusões – tomando cuidado para não dizer durante os diálogos, e Carlos olha em sua direção e triste, estende a mão sempre que ele diz ilusões, dando a entender que agora ele o vê e sente a sua falta).

Carlos: (Erguendo os ombros e volvendo as mãos, desolado) Vida cheia de esperança? Que esperança? Quem precisa de esperança? Eu preciso é de um baseado, isso sim! Não se pode fumar a esperança (ri nervoso), já um baseado!... hi, hi, hi!!!

Um novo rapaz de branco acende sua lanterna, focando-a em si mesmo, dá um passo em direção de Carlos e bem alto diz:

Esperança: Esperança? Eu ouvi direito? Quem me chamou?

Carlos: (Dando um salto assustado): Eu não chamei ninguém! Quer me deixar em paz? Que saco, meu! não se pode nem dormir em paz, que vem esses chatos amolar a gente!

Esperança: (Abaixando a cabeça, erguendo os ombros e as mãos, desolado): Que pena! Pensei que finalmente iríamos nos juntar novamente, mas vejo que estava enganado!

Carlos: Tá maluco ou fumou um? Eu nem te conheço! Nunca te vi mais gordo, e você vem falando em se juntar a mim de novo?

Esperança: Não estou maluco e não fumo estas porcarias que você está dizendo. Eu e você já fomos inseparáveis. Sempre que você olhava uma pipa voando alto no céu azul, eu inundava seu coração com o sonho de um dia estar ali, bem alto no céu, voando livre como as pipas de sua infância. Livre daquela carteira da escola, planando por sobre a cabeça da Dª Shirley, lembra? Mas em seu sonho de liberdade, você se deixou iludir pelo meu inimigo nº 1: as drogas, e ao invés de me alcançar, você se deixou escravizar! A cocaína te escravizou o espírito e te separou de mim! Eu sou a esperança de liberdade que você perdeu. Ando seguindo você desde que me expulsou de sua vida, e anseio pelo dia em que viveremos juntos novamente. (apaga sua lanterna, piscando-a como a primeira alucinação, dizendo sempre que iluminado: Esperança, esperança)

Carlos: (Sobrancelhas franzidas, pronunciando como se nunca tivesse ouvido esta palavra) Esperança de Liberdade! Que liberdade?!! Só se viesse com um baseado ou dois ...

(Outro rapaz de branco foca a si mesmo com a lanterna, saltando para junto de Carlos gritando)

Liberdade: Liberdade? Liberdade? (Se possível, cantar o Hino, só o refrão que diz: “Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós, nas lutas nas tempestades, pra que ouçamos tua voz”) Alguém me chamou? (Carlos se encolhe assustado, abraçando os joelhos).

Carlos: (Assustado) Será possível que só tem maluco no meu quarto esta noite? Terei eu que passar a madrugada inteira sobressaltado? (Nervoso) Que porcaria de amolação é essa? Se eu tivesse pelo menos um baseado, mandaria essas alucinações para bem longe de mim!

Liberdade: Fico feliz em informar-lhe, Carlos, que não somos alucinações; o problema é que você tem estado tão dopado e há tanto tempo, que há muito não nos ouvia ou sentia!

Carlos: (Intrigado) Eu te conheço?

Liberdade: Sim, eu sou a Liberdade! Desde que você sentiu o vento no rosto pela primeira vez, eu estive em você! Eu sou o anseio que você sentia pela linha do horizonte; era o brilho do sol em seus cabelos; aquele seu riso fácil, cristalino que nunca mais ecoou, pois foi substituído por gargalhadas bêbadas, trôpegas; eu era o brilho em teus olhos, tão opacos e apagados hoje em dia! Não diga que não me conheces – já fomos tão íntimos, inseparáveis, fundidos em um só ser, um só anseio de LIBERDADE. Pena que você preferiu se enganar com emoções químicas que logo passam, que nada te acrescentam, e que lhe tiraram tudo de bom que a vida tem e me afastaram de você. Eu sou a liberdade que você perdeu ao se deixar escravizar pelas drogas (apagar também sua lanterna, procedendo como os anteriores, dizendo: Liberdade, liberdade.).

Carlos: (Cada vez mais sério, cabeça baixa) O que querem de mim? Já me atormentaram bastante, agora me deixem em paz.

Outro rapaz de branco acende sua lanterna e salta em frente ao Carlos, gritando:

Paz: Paz? Você chamou por mim?

Carlos: (Ficando em pé e gesticulando bastante enquanto fala) Até que enfim alguma coisa que se aproveite desta noite maluca! (segura-o pelo braço, e o empurra apressadamente em direção da saída do palco) Sim, eu chamei por você: me livra destes três malucos aí, e pode ir embora com eles também.

Paz: (Solta o braço das mãos de Carlos, e coloca a mão em seu ombro, conduzindo-o de volta ao centro do palco, estabanadamente) Ih! Não posso! Uma vez chamados, só iremos embora se tivermos vontade, e não é o caso no momento.

Carlos: Mas eu não chamei ninguém, porque tenho que agüentar essa amolação?

Paz: (Com as duas mãos na cintura)Ah, mas você nos chamou sim! Somos cada anseio de seu coração quando não está dopado. Somos tudo aquilo que torna as pessoas humanas, felizes, resolvidas, tranqüilas. Somos vida, sonoridade, clareza, beleza, lucidez, resplendor. Sabe tudo aquilo que você é sem as drogas? Pois é, somos nós!

Carlos: (Virando as costas para ele): Ah, eu não quero pensar em quem eu seria sem as drogas! Estou precisando mesmo, é fumar algum, pois estão começando a me machucar com essas coisas que estão dizendo.
Paz: ( Se aproxima de Carlos, e diz, teatral, agarrando-o, sacudindo-o) Não existe vida sem dor! (cruzando as mãos no peito, como morto) Só a morte é indolor! É por isso que a droga te deixa tão “insensível” (belisca-o) – é morte correndo em tuas veias (esfrega os braços de Carlos), enevoando os teus pulmões (apalpa seu tórax), entorpecendo o teu sentir, o teu ouvir (tapa os ouvidos de Carlos e lhe chacoalha a cabeça), o teu viver (gritando, entusiasmado)! A vida é luta renhida (empunha uma espada imaginária), é batalha sentida (luta com ele, usando espadas imaginárias), vibrante; que ecoa sobre os montes (corre, sobe na cama), transpassa campos e colinas (salta da cama para o chão, e galopa pelo palco). A sensação que tu tens com a cocaína, é morte (cai duro na cama) perto da intensidade vibrante da vida. (Dizer cada palavra com toda a paixão que fores capaz de sentir pela vida. Enquanto a Paz está falando, Carlos vai abaixando a cabeça, esconde o rosto entre as mãos, e soluça em silêncio).

Todos os que já se apresentaram até agora: Lá em cima do piano tem um copo de veneno, quem bebeu, morreu; quem saiu fui eu! (repetir o versinho infantil enquanto se retiram do palco).

Morte: (Moça vestida de preto, com uma chaira ou lima nas mãos, afia uma foice de papelão e papel alumínio; capuz preto deixando o rosto na penumbra, entra em cena cantando e dançando) – Manter, manter, vai ter que ter, vai ser, foice afiada! (continua cantando e dançando, até chegar bem perto de Carlos, que se encolhe todo) Olá, Carlos!

Carlos: (fica em pé em cima da cama de um salto, emudecido, só consegue arregalar os olhos e apontar o dedo para a nova personagem).

Morte: (Encaminhando-se para Carlos, bem íntima e à vontade) Sai um pouco, é melhor enfrentar a chuva, os raios e os trovões lá fora, do que estes chatos aqui dentro.


Carlos: (Gaguejando assustado) Ccccruz, ccccredo! Ooo qqqqque é vvvocê?

Morte: (resoluta) Ora Carlos, que é isso? Você e eu somos íntimos, inseparáveis! Que deu em você para se assustar comigo hoje?

Carlos: (assustado) Eu nunca vi nada parecido com você em toda a minha vida! Só em filmes de terror eu vi coisa tão horrenda!

Morte: (indignada, voz estridente) Como? Horrenda? (tirando o capuz e mostrando o rosto todo branco, pálpebras superiores e inferiores pintadas de preto como uma caveira, lábios pintados de preto, o pescoço todo preto, com uma coluna cervical desenhada em branco) Sempre que te acompanho até a “boca”, fumamos, cheiramos e bebemos, você diz que eu sou a melhor companhia que alguém pode ter! (gritando e aproximando o seu rosto do rosto de Carlos) Ta me chamando de horrenda, por quê?

Carlos: (saltando para o outro lado da cama, assustado e gritando também) Socorro! Uma das assombrações está querendo me matar!

Morte: (gargalhando) Há, há, há, há! Eu sabia que você estava de gozação comigo! Só podia ser gozação me chamar a mim de assombração! Justo eu – a sua mortinha (mostrar-se com as mãos), que todas as noites tomamos todas, cheiramos todas, fumamos todas, aprontamos todas! He, he! Eu sei que é brincadeira sua (meneando “coquete” a cabeça e a mão, como alguém que afasta um mal pensamento)!

Carlos: (gaguejando) Vvvvocê disse que é a minha morte?

Morte: (séria, voz ameaçadora): Agora chega! Você já se divertiu bastante às minhas custas! Pára de fingir que não me conhece, porque já não tem graça nenhuma! (animada, estendendo a foice – papelão coberto com papel alumínio – em direção ao pescoço de Carlos) ah! Já sei! Estamos precisando de uma ou duas carreiras, um ou dois baseados pra ficarmos “legais” (sobe na cama e segura Carlos pela mão, arrastando-o, tentando tirá-lo de cena).

Carlos: (muito assustado tenta fazer “finca pé”, grita e chora bem alto) Socorro, eu não quero morrer! Eu quero viver! Eu sou muito jovem para morrer!

Morte.: (Encostando seu rosto no de Carlos fala ameaçadora, entre dentes) Eu já disse para parar com isso e eu não estou brincando! Você já sabe o que te acontece quando fico irada! Você se lembra muito bem das 6 vezes que foi parar no hospital. Só continuo “brincando”, porque você ainda me diverte, mas o dia em que se tornar um chato como os outros com os quais já brinquei, te “dispensarei” como fiz com eles! Agora pare de tentar me tirar do sério, e vamos pra “boca” comprar o que estamos precisando pra continuar a diversão (pega Carlos pela mão novamente, e o arrasta para fora de cena aos berros).

(Fecha a cortina)

(Abre a cortina, todos os que haviam se retirado do palco, focam suas lanternas em si mesmos)
Todos os que haviam se retirado do palco: “Lá em cima do piano, tem um copo de veneno, quem bebeu, morreu; quem saiu, fui eu!” ( um a um direcionam suas lanternas para Carlos, e continuam no palco)

Carlos: (visivelmente dopado e ensopado, deitado ao lado da morte que “dorme” toda esparramada, uma perna em cima do criado mudo, a outra fora da cama; Carlos começa a falar “engrolado” como bêbado) Puxa! Eu precisava me secar um pouco, mas estou tão numa “boa”, que não quero “cortar o barato” (olhando para a morte e sorrindo bêbado): Eu estou mal (hic!)! Mas você está “melhor que eu ainda”, heim?!! Hic! (Levanta-se trôpego, vai cambaleando em direção à platéia, coloca a mão no queixo e, pensativo e bêbado, diz) Cara, Tive um pesadelo daqueles! Sonhei que tinha um monte de gente aqui no meu quarto comigo e que eles eram a esperança, a paz, as minhas ilusões, ... “Mó doideira, cara”! Ainda bem que apareceu aquela minha amiga ali, e me levou até a boca! Hic. Que alucinação real, meu! To até molhado da chuva do meu pesadelo! (Vai até a cama e apalpa a morte, olha pra platéia) Cara! Ela ta friinha, friinha! (Segura a foice, alisando o seu corte e retirando a mão como se tivesse se ferido, olha o dedo com os olhos arregalados) Esse sonho corta, meu (sacode a mão, fazendo uma careta de dor)! E dói também (revira os olhos lentamente, apreensivo, leva a mão até o braço oposto e se dá um beliscão, soltando um grito de dor. Olha rapidamente para a morte em sua cama, esperando que ela não estivesse ali, mas ela está. Retrocede alguns passos de costas para o público, esfrega os olhos, olha novamente para a morte)!

Todos os que haviam se retirado de cena: (focam suas lanternas em si mesmos) “Lá em cima do piano tem um copo de veneno, quem bebeu, morreu; quem saiu, fui eu!” ( Focam suas lanternas na morte, e continuam no palco).

Morte: (A morte acorda, se espreguiça, boceja, esfrega os olhos, olha para Carlos e lânguida, estende as mãos para ele) Ai, amor, que zoeira! Vem para perto da sua mortinha, vem, amor!

Carlos: (Se afastando o máximo possível dela, aponta-lhe o dedo e grita assustado) Nnnnão foi pesadelo! Afasta-te de mim!

Morte: (Fica em pé, coloca as mãos nas cadeiras, franze as sobrancelhas irritada, e com voz estridente, diz) Ih! Isso já está ficando monótono! (resoluta) Já sei: precisamos voltar à boca, não é, querido? (sorrindo irônica) Você está ficando insaciável, heim? Cuidado, droga mata! Ah, ah, ah, ah! Mata! Mata! ... Mata! ... (Canta afiando novamente a foice) Manter, manter, vai ter que ser, vai ter, foice afiada!

Todos os que haviam se retirado de cena: (Mesmo jogo de lanternas) “Lá em cima do piano, tem um copo de veneno, que bebeu, morreu; quem saiu, fui eu!”

Carlos: (Gritando alto) Eu não quero morrer! Eu quero viver, entendeu? Viver!

Vida: (diadema na cabeça, maquiagem vibrante, cabelos soltos, ao vento, vestido branco / brilhante, é iluminada pelas lanternas dos 4 rapazes que já se apresentaram ao Carlos. Com vibrante alegria, se dirige ao Carlos, acaricia-lhe o rosto com a mão, sorri para ele, enquanto canta) Viver, e não ter a vergonha de ser feliz! Cantar, e cantar e cantar, a beleza de ser um eterno aprendiz! Eu sei, eu sei que a vida devia ser bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita: é bonita, é bonita e é bonita! (A morte, enfurecida, sai de cima da cama, fica andando ao redor de Carlos, afiando a foice sem parar)

Vida: Você já sabe quem eu sou, não é?

Carlos: (Olha para ela sério e diz): Não. Quem é você?

Vida: (Teatral, agarra o tronco de Carlos com as mãos) Eu sou sua vida física e emocional (puxar seus lábios, formando um sorriso e um choro); fui criada antes de sua concepção, ainda óvulo (formar um arco com as mãos, no alto da cabeça, andando na ponta dos pés) e espermatozóide (fazer “cobrinhas” com os dedos). Foi-me dado o vigor (mostrar os músculos) e a resistência necessários para chegar na frente no momento da concepção (segurar as suas mãos erguidas, num gesto de vitória). Nenhum outro dos milhões de espermatozóides que rodeou aquele óvulo o penetrou, pois só você (segurar o queixo de Carlos e sacudi-lo alegremente) poderia existir – nenhum outro poderia ter vindo em seu lugar: Havia planos para você.

Carlos: (Intrigado) Planos? Que planos?

Vida: (Sair andando displicentemente) Isso lhe será revelado no momento certo e pela pessoa certa.

Carlos: Que pessoa? (Desesperado) Ainda virá mais gente aqui hoje?

Vida: Você se tornou uma pessoa quebrada (com as mãos, fazer Carlos se ajoelhar, assentar nos calcanhares, e dobrar o corpo para a frente, colocando a cabeça no joelho), dividida, destruída pelas drogas; é necessário que você se encontre novamente, para que se torne um Homem por inteiro (desdobrar Carlos, e coloca-lo de pé), e não estes fragmentos enevoados, entorpecidos da pessoa que deveria ser.

Carlos: Sabe, eu estou com muito medo dela! (Com os olhos arregalados, aponta a morte que nesse momento aproxima sua foice de Carlos, cantando alegremente) Manter, manter, vai ter que ser, manter foice afiada!

Todos os que haviam se retirado de cena: “Lá em cima do piano, tem um copo de veneno, quem bebeu, morreu; quem saiu, fui eu!”

Vida: (Afasta a foice da morte com as mãos; as duas se encaram como em desafio, e começam a valsar em volta Carlos) É, Carlos, ela está prontinha para te levar! (e continuam a dançar, olhando uma nos olhos da outra)

Carlos: (Puxa a Vida, obrigando-a a parar de dançar, segura suas mãos, cai de joelhos a seus pés, e chora, implorando) Pelo amor de Deus! Não deixa ela me levar! Eu sou muito novo para morrer!

Vida: (Displicente) Ah, eu não tenho o poder de impedi-la! Onde ela chega, eu nada posso fazer; tenho que me retirar!

Carlos: (assenta sobre os calcanhares, deixa cair os braços, os ombros e a cabeça, desanimado) Ai, meu Deus! Eu estou perdido!

Vida: (Deixando de lado o jeito jocoso, fala séria, pela primeira vez) Peça a Ele, Carlos!

Carlos: A Ele quem? Pedir para quem?

Vida: Ao Único que tem o poder de mudar as coisas, ao Único que pode te salvar de si mesmo!

Carlos: Se você está falando do velho, pode esquecer! Ele não liga mais pra mim - chegou a dizer que eu não sou mais seu filho, e que eu não o procurasse nunca mais!

Vida: Tenho certeza de que ele não falou isso de coração, Carlos, pois todo pai ama seu filho, mas deve ter sido um rompante de momento, medo de se decepcionar de novo com você, mas vai isso passar! Eu não estou falando do seu pai ou de sua mãe não, é alguém maior e melhor do que eles! Ele pode te salvar!

Carlos: Quem? Pelo amor de Deus, fala logo, pois eu estou muito aflito!


Vida.: (Pausa) Sabe, você pode até conseguir força de vontade suficiente para ir até uma clínica de desintoxicação, lutar e vencer as drogas, mas com Jesus fica tudo mais fácil!

Carlos: (Visivelmente decepcionado) Ih! Começou tão bem, e agora me vem com isso de religião! (olha alucinado para a platéia, altera a voz, quase gritando, irônico) Eu devo estar mal mesmo, já estão falando em trazer um padre!

Vida.: (Exasperada) Para com isso, Carlos! Eu não estou falando em extrema-unção... (a morte se aproxima novamente, a vida olha pra ela e completa a frase) ainda! Olha só como são as coisas! Se eu estivesse falando sobre encher a cara, sobre ir até a “boca” ou um prostíbulo, você encararia como natural, mas se falo do Único que pode te livrar dela ali (mostrar a morte com a mão), você prefere a morte! (Neste momento, a morte abre um sorriso, e se aproxima resoluta de Carlos).

Morte: Isso, Carlos! Não dê ouvidos a essa “crentinha” aí não! Vem comigo, que você sabe que a diversão é garantida! Pois comigo não tem essa história de Igreja não! Comigo é boca, é festa, é bebida e mulherada! (segura a mão de Carlos e tenta arrasta-lo) Vam-bora pra boca!

Carlos: (Arregalando os olhos assustado, fala rapidamente): Não, olha, eu quero saber mais desse Jesus, sim, pois se Ele pode me livrar dela (arranca violentamente sua mão da mão da morte), eu topo qualquer parada! Até viro carola!


Vida.: (Entristecida) Não, Carlos, você ainda não está pronto para Ele! Não é assim que nos aproximamos dele; Ele não é um salva-vidas que você pega quando em perigo de vida e depois joga fora! Ele é o nosso intercessor, nosso Advogado junto ao Pai, que dá a sua vida para que nós possamos viver!

Carlos: Como? Ele vem aqui morrer no meu lugar? (a vida balança afirmativamente a cabeça) Isso não existe!

Vida.: É claro que existe, Carlos! Ele se deixou pregar em uma cruz e lá permaneceu, mesmo tendo o poder de se livrar, pagando o preço do teu pecado e do meu, para que a morte espiritual não pudesse nos dominar mais!

Carlos: Se Ele já morreu, como é que vai morrer no meu lugar de novo?

Vida.: Jesus é o Filho Unigênito de Deus Pai, com todos os poderes de seu Pai, e Ele continua a renovar a aliança no seu sangue, sempre que alguém se converte a Ele, ou pede a sua ajuda.

Carlos: Olha, eu estou mais confuso que antes! Não estou entendendo mais nada! Primeiro, esse tal Jesus já morreu, mas ainda morre, e é o Filho único de Deus?

Vida.: Ele é o Filho Unigênito, isso é: o único a ser gerado por Deus, o único que nasceu do Senhor; ao entregar sua vida por nós, nos tornou filhos adotivos de Deus – quando o Filho de Deus se entregou em sacrifício, o seu sangue derramado nos revestiu e nos lavou de todos os nossos pecados, e nos tornamos puros aos olhos de Deus Pai. Quando Deus olha para um convertido a Jesus Ele vê o sangue de Seu Filho amado, vê o sacrifício de Jesus por aquele pecador, e o perdoa, e o recebe em seus braços com o amor de Pai por um Filho muito querido.

Carlos: Como eu faço para me chegar a Ele?

Vida: Peça a Ele com todo o seu coração!

Carlos: (Olhando em volta) Mas cadê Ele pra eu pedir?

Vida: Ele é como o ar: embora você não o possa ver, ele está, esteve e sempre estará à sua volta. É só se ajoelhar e pedir, que o mais Ele fará!

Carlos: Mas o que eu vou dizer se nunca falei com Ele antes? E se Ele não quiser falar comigo?

Vida: Ele vai te ouvir, Carlos. Ele sempre ouve um coração contrito! (Focar todas as lanternas em Carlos, que deverá cair de joelhos, com o rosto entre as mãos, voz insegura a princípio, vai adquirindo segurança à medida em que ora.)

Carlos: Senhor, eu não sou digno de me colocar em Tua presença, mas estou desesperado e não sei mais a quem recorrer. Eu não sei orar, e se não quiseres me ouvir, e virares o rosto para o outro lado, eu entenderei, afinal, é o que tenho feito com o Senhor ao longo de anos; te ignorei durante toda a minha vida, se é que se pode chamar de vida a minha existência. Agora, se o Senhor, apesar de tudo o que tenho feito, quiser me ouvir e me ajudar, saiba que vim Te procurar, porque ouvi dizer que és o único que pode me salvar de mim mesmo e da situação na qual me encontro. Me envolvi com drogas, estou no fundo do poço, sem saber como sair. Meus pais já não agüentam mais tanto sofrimento, e fogem do monstro no qual me transformei. Amigos, já não tenho mais – só monstros infelizes como eu, aceitam dividir o mesmo espaço imundo comigo. Já estive preso, caído na sarjeta, e não tenho ninguém que me estenda a mão. As pessoas fogem assustadas quando me vêm, e não tenho a quem recorrer neste momento de angústia. Por isso venho a Ti, Senhor! Se me virares as costas, eu entenderei, e, se me estenderes a mão, não sei se terei forças para segurá-la com firmeza, pois me faltam caráter e decisão; pelo menos é o que sempre ouço dizerem a meu respeito.
Já tentei largar as drogas várias vezes, mas não consegui ir adiante, por isso estou aqui. Quero muito me libertar desta escravidão na qual estou, e venho Te pedir ajuda Senhor! Ajuda e força para os momentos horríveis de privação pelos quais vou passar; pela terrível lembrança do efeito dela em mim, e da saudade constante da sensação que a droga me causa! Sei que sozinho não conseguirei agüentar, e por isso Te peço: Ajude-me, Senhor!

Instrução: Uma voz masculina muito bonita (do tipo “Cid Moreira”), respondendo como se fosse Deus falando ao coração do jovem.

A Voz: Meu filho! Antes que te formasses no ventre de tua mãe, eu te amei e te escolhi, e te destinei para levar a Minha Palavra àqueles que precisassem. Te fiz crescer em idade, sabedoria e graça, dando-lhe inteligência e saúde privilegiadas, para que pudesses ser mensageiro do meu amor aos homens. Estive com você desde antes de sua concepção, vi seus ossos sendo formados no ventre de sua mãe, e nunca te deixei por um momento que fosse. Quando se envolveu com más companhias, coloquei o alerta em seu coração: eles não servem para você! Mas não destes a atenção necessária para se afastar delas; coloquei em seu coração o medo das drogas, mas foi com imensa tristeza que te vi segurando um baseado pela primeira vez! Providenciei para que você se sentisse muito mal, mas isso não foi suficiente para afastá-lo das drogas. Fazer parte daquela turma era a coisa mais importante em sua vida naquele momento. Com muita tristeza, vi o “meu profeta das nações” torrando seus neurônios privilegiados, cuja formação no ventre materno eu pessoalmente, dirigi e acompanhei. Te vi transformando-se, aos poucos, em apenas mais um drogado indesejado nas ruas. Justo você a quem Eu havia separado, para ser o HOMEM DIFERENCIADOR no mundo de hoje, mas você escolheu diferente! Mesmo assim, Eu nunca te deixei meu filho! Quando caístes no meio da rua, entorpecido, fui Eu que te carreguei até um lugar seguro; quando esteve preso, ali estive também, partilhando aquela cela mal-cheirosa com você; era Eu quem enxugava o suor do teu rosto enquanto deliravas por falta das drogas. Eu o acompanhei a cada beco, a cada banheiro imundo, a cada boca de fumo por onde andou; quando te prostituístes para conseguir dinheiro, Eu te velava, entristecido, mas não podia deixar que alguém te fizesse mais mal do que o mal que tu mesmo te fazias! Como esperei, como ansiei pelo momento em que virias, finalmente me procurar! Como esperei por este dia em que o meu filho pediria o meu socorro!
Filho, amado! Até hoje estive contigo, sofrendo com sua dor, angustiado com seu sofrimento, esperando apenas por um pedido teu para te sarar, para te curar. De hoje em diante, filho, sou Eu quem te carrega nos braços!

Carlos: (Chorando, súplice) Podes me tornar um homem por inteiro? O Senhor pode sarar o meu interior?

Deus: Sim, filho, eu posso! (um por um todos os homens de branco acendem suas lanternas, se colocam atrás de Carlos que está de pé, de frente para o público, apagam suas lanternas um por um, a começar pelo primeiro, se retiram do palco em silêncio, para que ninguém os veja saindo. Quando o último homem de branco se retirar do palco, todas as luzes se acendem, a morte levanta as mãos, grita e sai de cena apavorada. Carlos ergue as mãos como que “tocando” Deus, cai de joelhos e grita):

Carlos: - “Pai!” (com expressão de profunda alegria em seu rosto. A “voz de Deus” se faz ouvir novamente).

Deus: _ Filho amado! Hoje eu declaro que tu és meu e eu sou teu!

OBS.: Carlos pode morrer, com a morte saindo de cena em gargalhada, um personagem vestido de Bíblia recitando o provérbio de Salomão: “Não olheis para o vinho que se mostra vermelho na taça, ...”. “Todos os que haviam saído de cena” dizem a cada saída de um deles: “Lá em cima do piano / tem um copo de veneno / quem bebeu morreu / quem saiu fui eu”.


Tereza _ Bertolucci


Divirtam-se!!!!!!!!!!!

MEU E-MAIL: yuri.almeida16@gmail.com

email e msn: gjnconsult@hotmail.com
11 87540999

Onde congrego, não possui muitos irmãos. Logo, qm fica na liderança dos jovens são os jovens mesmo. O Senhor me concedeu esse ministério e vou tentar passar algumas idéias q estão dando certo:

- Na mensagem sempre usamos dinamicas: mantem mais a atençao e deixa o coraçao receptivo a meng pq pode-se associar a coisas normais da vida.
- Confiar neles e delegar tarefas.
- Qm sabe alguma coisa ensina para os demais. Oferecemos a partir do mnistério de louvor aulas de canto, violao, teclado, bateria, baixo...
- Um jovem mais fortalecido na fé, discipula (mais um encaminhamento) o mais novo com um livrinho chamado JESUS.
- Investimento em atividades extra igreja. Aniversários, passeios.
- Um grupo de hip-hop para apresentar.
- Pagode evangelizando o bairro no final do culto.

Foco
- Estabelecemos um objetivo para o ano todo, geralmente disseminado no acampamento. Esse ano foi: 2010 +10 (cada um ganhar mais 10 pra JESUS.
- Uma outra idéia é usar gincanas com etapas onde passamos ensinamentos em cada uma delas.

Humor
- Umas das melhores formas de ensinar pois deixa a pessoa receptiva a palavra.
- Teatros simples (algumas vezes repetiçoes de passagens da bíblia)
- Paródias com músicas "do mundo" bem conhecidas. Ex: VC não nao vale nada Mais JEsus ama vc; a do Justin Bieber ohh baby.


São coisas bem legais, mas nao podem perder o foco: A OBRA PRINCIPAL QM FAZ É O ESPIRITO SANTO. E SE FICAR SÓ NAS AÇOES VIRAMOS APENAS UM GRUPO E NAO PARTE DA IGREJA DE DEUS


meu email é: sara_angrense@hotmail.com
se alguém quiser/precisar de algo


pazmeu

 

 

 

Fizemos alguns eventos que agitaram a mocidade de nossa igreja

- palestras sobre assuntos da atualidade: namoro cristão, sexo, drogas, músicas do mundo
- peças teatrais
- evangelismo com uma palavra mais direta ao jovem e com louvores estilo rock, pagode
- utilizamos o datashow da igreja para exibir o Cine-Mocidade, uma vez por mês, como os filmes: o Fazendeiro de Deus, Paixão de Cristo, Prova de Fogo, Desafiando Gigantes
- fizemos 2 Festival Gospel, com premiação para os melhores cantores
- fizemos após um culto evangelístico, o Festival da Pizza, Festival do Hambúrger
- antes do início de cada ensaio do coral, havia oração e no término, um jovem era selecionado para trazer uma rápida palavra aos demais, cada ensaio era um jovem diferente, sendo que todos participavam
- culto de mocidade umz vez por mês, sendo que muitos tiveram oportunidades para cantar, tocar, pregar
- passeios externos, uma vez por ano para algum sítio ou chácara
- outros passeios para parques da região, churrasco ou campeonatos de volei, futebol
- a cada 2 meses fazíamos o DOMINGO COM DEUS, que era um domingo inteiro com louvor, adoração, oração e gincanas bíblicas

Enfim, muitas idéias, espero ter contribuído. olá irmãos eu sou o pastor isaias, tudo bem, estou muito feliz por poder ter a graça de participar de assuntos, como esse pois meu ministério é formado praticamente de jovens,filho não deixe enganar por vãs filosofias. pois o dizimo esta tanto no vélho qunto no novo testamento,sempre falando da décima parte da colheita ou dos gadose assim por diante,e concernente a idéias, digo a voce que joven tem muita energia procure fazer com que eles tenham alegria em gasta-las com a obra de Deus, com campanhas nos lares, cultos com jovens nos lares, vigilia, monte, gincana biblica, encontros semanais, para saber como vai cada um assim por diante.se precisar de mais aguma coisa é so me mandar um imail,amem,

 

Olá amigos, tem um ministério chamado Clubes Bíblicos da Palavra da Vida que dá treinamento, suporte e ferramentas para os líderes nos trabalho com jovens. O que acho legal é que eles já tem um currículo de encontros para jovens desenvolvido para seis anos, então ele sabe onde quer chegar. O objetivo desse ministério é multiplicar discipuladores, ou seja, formar jovens comprometidos para que esses evangelizem e discipulem outros.

E o legal deles também é que já tem toda a programação preparada para os jovens com idéia de dinâmica, estudo e dicas para conversar em grupos pequenos.

Dê uma olhada em www.clubesbiblicos.com.br

 

by sky

Membro desde:

16 de agosto de 2006

Total de pontos:

11.039 (Nível 6)

Melhor resposta - Escolhida por votação

Em nossa igreja temos seminarios para jovens.
Os jovens são usados tambem em evangelização, como instrumentistas na igreja, fazem parte de grupos de limpeza, de louvor, de visitas aos lares..enfim, somente eventos bíblicos e voltados para o Senhor.

Membro desde:

23 de agosto de 2006

Total de pontos:

4.694 (Nível 4)

Em que cidade vc mora??? entrano cite www.quadrangular.com.br e procura a igrejada sua cidade, em são paulo, capital tem eventos e shows todos os dias... me add no seu msn? apollo_kind@hotmail.com bejus...

Embora não sendo da religião vou te dar uma idéia: ha alguns anos atraz a igreja adventista do 7 dia fazia aos domingos um encontro chamado "Social", onde os jovens trocavam idéias sobre as escrituras da bíblia e depois faziam umas brincadeiras, como exemplo cobra-cega, Lenço atriz e coisas para descontrair e divertir. Eu achava interessante. Diversão para evangélicos e uma nova estratégia para falar do amor de Cristo

 

 

 

 

 

Atualmente muitas igrejas realizam em seus grupos de jovens, cultos diferentes do convencional. Muito se discute quanto a esse momento, por alguns considerarem errado que a celebração seja “moderno demais” e deixe o “mundo” entrar na igreja. Porém o intuito de um culto de jovens diferente não é se parecer com as festas e atividades de fora da igreja, e sim acompanhar o momento que vivemos, onde o jovem tem acesso a muita informação e vive cada vez mais conectado as modernidades do dia a dia.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

A proposta de que aja elementos novos nos culto de jovens, diz respeito a acompanhar as mudanças dos próprios jovens que estão na igreja. Essas idéias que vamos apresentar a seguir são sugestões de atividades que visam engrandecer o nome de Jesus, aproximar cada vez mais os jovens da igreja e de Deus, além de tornar cada vez mais o jovem parte do corpo de Cristo.

Essas idéias são para que as igrejas evangélicas, realizem seus cultos de jovens de forma contextualizada e sempre centrada na verdade única do evangelho do senhor Jesus Cristo, inovar é permitido, mas nunca mudar o foco da proclamação da palavra de Deus.

Confira agora, 8 idéias diferentes para o culto de jovens:

Músical

  • Culto Louvorzão
  • Culto Acústico
  • 24 horas de Adoração

Evangelístico

  • Culto do Amigo

Competições

  • Culto da Olimpíada
  • Culto da Copa do Mundo
  • Culto do Panamericano

Oração

  • Culto do Silêncio

Filmes:

 

 

No Dia do Jovem Cristão muitas igrejas realizam programações, cultos, passeios, ou mesmo um louvorzão! Mas, para aqueles que ainda não organizaram uma boa programação para a data, uma dica interessante é um bom filme para assistir com a turma da igreja.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Lembrando, que é uma ótima data para que se pense sobre a importância da juventude cristã, tanto na igreja quanto na sociedade. Um momento para reflexão e para a edificação, pois o jovem será aquele que estará o líder mais adiante, na família, na igreja, em sua profissão, na sociedade de uma forma geral. E na nossa série de dicas sobre o tema, nós sugerimos sempre opções que possam contribuir nessa edificação.

O filme é uma forma de entretenimento, sim, mas, também, como uma forma de arte, comunica de forma mais intensa. Isso pode ser uma ferramenta para fortalecer a fé, para adquirir conhecimento, ou mesmo para aprender alguma lição. Nós escolhemos alguns títulos que certamente esses aspectos. Esperamos que seja um momento de comunhão e crescimento a todos os jovens cristãos do Brasil.

Confira os filmes:

  • Bênção e maldição
  • A lista
  • 2012 – Profecia ou pânico (Documentário)
  • O impostor
  • Nas mãos do governo – A nova ordem mundial (Documentário)
  • O poder da Graça
  • Wesley
  • O Peregrino
  • Graça e perdão
  • A escolha

 

 

Relacionados

 

Dinâmicas:

http://www.esoterikha.com/coaching-pnl/dinamicas-de-integracao-evangelicas-grupos-evangelicos-gospel-integracao-para-celulas.php

 

Gincanas Evangélicas e Brincadeiras Grátis

4 Ideias de gincanas para jovens e adolescentes evangélicos:

1 – Corrida ao Contrário

Funciona assim: os corredores dão vinte e cinco voltas ao redor de um cabo de vassoura (eles ficarão tontos); depois correm de costas até alcançarem a linha de chegada. Vencerá o primeiro que chegar.

2 – Vassobol

Nessa brincadeira, 2 adversários disputam para colocar a bola no gol adversário através de uma vassoura. Vence quem fizer mais gols. Você pode usar as pernas de uma cadeira como gol!

3 – Futebol e olho vendados

Esse é muito fácil. É semelhante a um jogo de futebol normal, porém os participantes estarão de olhos vendados. Vence que tiver maior número de gols.

4) Corrida de PÉ com PÉ

É bem divertida essa brincadeira: Formam-se duplas. Cada participante deverá subir no pé da sua dupla para uma corrida (o organizador escolhe o trajeto). Na ida, o que está pisado deverá correr. Já na hora de voltar, ele pulará (de costas). Ganha quem chegar primeiro.

Gostou das dicas? Você encontra muitas brincadeiras evangélicas como essas no site www.idagospel.com

Veja uma sugestão de dinâmica para jovens gospel:

Gostou da informação? Deixe um comentário!

Leia também:

ww.idagospel.com › MUNDO CRISTÃO

http://www.dicastudo.com.br/dinamicas-e-gincanas-evangelicas-para-jovens/

 

Dinâmicas e Gincanas Evangélicas Para Jovens - As igrejas de denominações evangélicas vem crescendo consideravelmente nos últimos anos no Brasil, e esse crescimento é demonstrado em todos os setores, pois os artistas, os produtos e tudo o que tem ligação com esse segmento vem ganhando cada vez mais espaço nas mídias.

E esse crescimento se estende também aos jovens, que cada vez mais se convertem para a religião evangélica ou herdam de seus pais o professar da fé evangélica.

Mas estes jovens enfrentam por vezes muitas dificuldades no meio da sociedade na qual vivem, pois nem sempre o que é normal para todos os jovens de sua idade fazer lhes agrada ou convém que eles também façam.

Por isso a seguir listaremos uma série de atividades, dinâmicas e gincanas evangélicas para jovens que proporcionarão excelentes momentos de comunhão e união entre os jovens e adolescentes que praticam a mesma fé, e por isso tem os mesmos princípios em suas vidas.

É comum entre os evangélicos o hábito de se isolar do mundo durante algum tempo, o chamado Retiro Espiritual, principalmente na época do Carnaval, e para isso nada melhor do que estar em um sítio e poder se divertir com os amigos e familiares.

Veja então algumas Dinâmicas gospel para jovens e adolescentes praticarem durante esse período de Retiro e também em outras ocasiões especiais como um aniversário ou uma confraternização, lembrando que os adultos também podem cair na brincadeira se quiserem.

Torta na Cara

Para esta gincana bíblica deverão ser escolhidos 6 participantes, sendo 2 de cada vez, cada um portando um prato de torta em sua mão direita e a mão esquerda para trás. Então um participante de fora dá a ideia de uma palavra ou frase curta e os participantes devem cantar um louvor que contenha essa palavra sugerida.

Ganha o ponto quem levantar a mão primeiro e cantar corretamente o louvor, e além de ajudar sua equipe você ainda poderá lambuzar o rosto do seu amigo de torta.

Ginástica Bíblica para Jovens

Essa dinâmica para jovens evangélicos é muito divertida e animada, e funciona da seguinte forma, um líder faz algumas perguntas para os jovens, se as respostas forem verdadeiras as pessoas concordam seguindo as instruções dadas, mas se forem falsas não sigam as instruções.

Exemplo de Questões:

- Se Abel matou Caim levante seu braço direito.

- Se a Bíblia tem 76 livros mova a cabeça.

Assim você poderá usar sua criatividade e fazer várias outras perguntas aos participantes, uma ótima forma de interação entre todos os presentes e o melhor de tudo é que se aprende informações importantes da Bíblia se exercitando.

Essas atividades são apenas duas ideias que se pode fazer em se tratando de gincanas para jovens evangélicos, tenho certeza que usando sua criatividade você poderá junto com seus amigos criar novas brincadeiras ou mesmo adaptar jogos famosos para a sua realidade.

Mas se mesmo assim não aparecer muita coisa, faça uma pesquisa na internet, pois existem diversos sites especializados que trazem diversas opções de brincadeiras para gincanas evangélicas.

 

 

 

Dinâmicas e Gincanas Evangélicas Para Jovens - As igrejas de denominações evangélicas vem crescendo consideravelmente nos últimos anos no Brasil, e esse crescimento é demonstrado em todos os setores, pois os artistas, os produtos e tudo o que tem ligação com esse segmento vem ganhando cada vez mais espaço nas mídias.

E esse crescimento se estende também aos jovens, que cada vez mais se convertem para a religião evangélica ou herdam de seus pais o professar da fé evangélica.

Mas estes jovens enfrentam por vezes muitas dificuldades no meio da sociedade na qual vivem, pois nem sempre o que é normal para todos os jovens de sua idade fazer lhes agrada ou convém que eles também façam.

Por isso a seguir listaremos uma série de atividades, dinâmicas e gincanas evangélicas para jovens que proporcionarão excelentes momentos de comunhão e união entre os jovens e adolescentes que praticam a mesma fé, e por isso tem os mesmos princípios em suas vidas.

É comum entre os evangélicos o hábito de se isolar do mundo durante algum tempo, o chamado Retiro Espiritual, principalmente na época do Carnaval, e para isso nada melhor do que estar em um sítio e poder se divertir com os amigos e familiares.

Veja então algumas Dinâmicas gospel para jovens e adolescentes praticarem durante esse período de Retiro e também em outras ocasiões especiais como um aniversário ou uma confraternização, lembrando que os adultos também podem cair na brincadeira se quiserem.

Torta na Cara

Para esta gincana bíblica deverão ser escolhidos 6 participantes, sendo 2 de cada vez, cada um portando um prato de torta em sua mão direita e a mão esquerda para trás. Então um participante de fora dá a ideia de uma palavra ou frase curta e os participantes devem cantar um louvor que contenha essa palavra sugerida.

Ganha o ponto quem levantar a mão primeiro e cantar corretamente o louvor, e além de ajudar sua equipe você ainda poderá lambuzar o rosto do seu amigo de torta.

Ginástica Bíblica para Jovens

Essa dinâmica para jovens evangélicos é muito divertida e animada, e funciona da seguinte forma, um líder faz algumas perguntas para os jovens, se as respostas forem verdadeiras as pessoas concordam seguindo as instruções dadas, mas se forem falsas não sigam as instruções.

Exemplo de Questões:

- Se Abel matou Caim levante seu braço direito.

- Se a Bíblia tem 76 livros mova a cabeça.

Assim você poderá usar sua criatividade e fazer várias outras perguntas aos participantes, uma ótima forma de interação entre todos os presentes e o melhor de tudo é que se aprende informações importantes da Bíblia se exercitando.

Essas atividades são apenas duas ideias que se pode fazer em se tratando de gincanas para jovens evangélicos, tenho certeza que usando sua criatividade você poderá junto com seus amigos criar novas brincadeiras ou mesmo adaptar jogos famosos para a sua realidade.

Mas se mesmo assim não aparecer muita coisa, faça uma pesquisa na internet, pois existem diversos sites especializados que trazem diversas opções de brincadeiras para gincanas evangélicas.

Atualmente essa tem sido uma prática freqüente não só aqui no Brasil, mas em vários países do mundo. Muitas bandas que começaram como bandas independentes tornaram-se conhecidas e vieram a fazer sucesso. Entretanto, não podemos esquecer que a expressão verdadeira na manifestação artística é imprescindível para a validade da arte, ou seja, para nascimento de um trabalho autêntico; também a aplicação, determinação e trabalho, indispensáveis para a qualidade musical.

A gravação de um CD requer aplicação por parte do artista, existem etapas que não podem deixar de ser cumpridas. Definir repertório, realizar um planejamento, definir quem irá fazer a produção do álbum, ensaios, estúdio que será gravado, mixagem, masterização, dentre outros, são fatores imprescindíveis que implicarão na qualidade final do CD. Depois dessa etapa, tem também o projeto gráfico, a capa, essa etapa pode ser desenvolvida pelo próprio artista ou por um terceirizado.

Outra fase extremamente importante é a produção fonográfica, que é a fase de prensagem do disco, nessa etapa há diversas formas de realizar, dependendo da quantidade do formato a ser adquirido, da quantidade de músicas e também da quantidade de tiragens. É na fase da produção fonográfica que será gerado o ISRC (International Standard Recording Code), que é o Código Internacional de Normatização de Gravação, esse código, que é o registro oficial da produção deverá ser enviado para a fábrica juntamente com a master, para a prensagem do CD.

A etapa final seria a venda e divulgação, neste caso a nossa dica é a internet, para quem está começando é a melhor ferramenta de divulgação. Se a música for de qualidade, ela terá uma grande chance de ser reconhecida, aos poucos o próprio público será o reverberador do seu som, da sua mensagem.

 

 

Acesse as subpáginas :

Evangelismo para jovens

Estudos bíblicos para jovens

Criar um Site Grátis   |   Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net